Serviços Culturais são destaque em oficina da TeSE

A 1ª oficina da iniciativa Tendências em Serviços Ecossistêmicos (TeSE) em 2015 discutiu as características e a importância da valoração de serviços ecossistêmicos culturais 15/04/2015
COMPARTILHE

Por Milene Fukuda (GVces)

Neste ano, a iniciativa empresarial Tendências em Serviços Ecossistêmicos (TeSE), do Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV-EAESP (GVces), está ampliando sua agenda de trabalho: avançando no trabalho de quantificação e valoração dos serviços ecossistêmicos de provisão, regulação e suporte, em 2015 a TeSE passa a olhar também para os serviços ecossistêmicos culturais (SEC).

De acordo com a definição do Millennium Ecosystem Assessment (MA), serviços ecossistêmicos culturais são benefícios não materiais que as pessoas obtêm de ecossistemas. Estes foram divididos em seis categorias: identidade cultural, inspiração, patrimônio, beleza cênica, identidade espiritual e recreação e turismo.

Em outras palavras, o projeto pretende chegar em diretrizes de como valorar não-monetariamente os serviços culturais e “acessar a importância que as comunidades com as quais vamos trabalhar dão ao meio ambiente com o qual se relacionam.”, explica Renato Armelin, do GVces.

null

Para isso, a TeSE conta com a colaboração e o apoio de outra iniciativa empresarial do GVces, a Desenvolvimento Local e Grandes Empreendimentos (IDLocal).“A parceria com a TeSE vem com o objetivo de juntar experiências. IDLocal olha para os territórios, com entendimento de perspectivas das comunidades, mas também de apoio às empresas no que diz respeito ao desenvolvimento de estratégias de relacionamento com esses stakeholders”, explica Lívia Pagotto, coordenadora da IDLocal.

Na primeira parte da manhã de oficina foi transmitido aos membros os conceitos e importância dos serviços ecossistêmicos culturais. Eles puderam esclarecer dúvidas e em seguida foi aberta uma roda de discussões para compartilharem eventuais experiências com o tema.

Próximos passos – O ciclo 2015 conta com três GTs, sendo que o primeiro previsto para maio irá trabalhar métodos de valoração dos novos serviços ecossistêmicos de provisão. O ciclo também conta com uma capacitação de três dias dos métodos da DEVESE e sua ferramenta de cálculo, juntamente com desenvolvimento de projetos pilotos. Além disso, está previsto para o ano a viagem das Iniciativas Empresariais e o Fórum Anual das Iniciativas Empresariais do GVces.

Mais Lidos

Nenhum post encontrado.